Qual é o caminho?

Espanha, Santiago de Compostela – 21 Março 2012

É só mais um pouco. Mais um pouco a subir e já vejo peregrinos. Indefinidamente, aparecem pelas ruas que dão em largos, munidos de cajados nas mãos e uma pele rosada saloia. Normalmente aos pares e de mapa na mão, percorrem caminhos que outros fizeram. Às doze horas a catedral recebe-os. Ali bem perto, debaixo de uma arcada, existe um som que envolve toda a praça. Uma teimosa gaita de foles, pede meia dúzia de tostões para continuar a tocar. Teimosa, porque repete-se em melodias vezes sem conta. Quem ali fica mais que dez minutos como eu, a desenhar, pede por silêncio a todo o custo.

Continuo a subir. Onde era pedra é agora um relvado inclinado, onde existem cães a correr à solta. O teimoso som, felizmente, deixou-se de ouvir. Em substituição, entrou uma guitarra que calmamente solta uns acordes de blues. O sol bate-me de frente na pele. Os peregrinos são agora casais de namorados deitados na relva, ou grupos de amigos em círculos de conversas. Apenas um turista. Eu, que depressa sou mais um peregrino a caminho de outro lugar.

Santiago de Compostela - Bonaval

Santiago de Compostela - Rua Nova

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Sobre Nós

Olá! Somos Luis, apaixonado por Urban Sketching e Anisa, por fotografia. Conhecemo-nos em Bali, onde vivemos juntos e agora viajamos de bicicleta por todo o mundo. Gostamos de partilhar a estrada sobre 2 rodas ou de conversar sobre comida. Como não sabem qual é o melhor lugar para viver, andam a viver o mundo como se fosse a sua casa.




Artigos relacionados

Anterior
Seguinte

4 Comments

  1. Bem, o caminho é continuar a deliciar-me com estes magníficos sketches, muitíssimo bem “ilustrados” com belas palavras!
    Boa Páscoa, Luís!

  2. Que bom é acompanhar esse traço de aguarela que descobres a cada rua de Espanha e do mundo, e do teu olhar, e do teu desenho. Isto promete! 🙂

  3. Eu adoro SC, local de culto cada vez que vou à Galiza, a descrição das ruas e do som da gaita de foles trazem boas lembranças, acabei de ler o texto a sorrir. Os desenhos são lindos e tão suaves, estou a gostar bastante!

  4. Luís, a tua descrição de Santiago transporta-me de cajado na mão, às pedras do camiño e às ruas que rodeiam a Catedral. Os desenhos suaves retratam bem dois elementos muito importantes em Santiago, as ruas cheias de gente e as igrejas que se sobrepõem aos telhados do casario. Adoro.

Leave a Reply